Drika

15/12/2010

Dia 23 de Março de 2002 as 11:09 da manha no quintal da minha casa, localizada á Rua Benedito Marra da Fonseca, nº 77 nascia a cadela Drika, filha da cadela Shena e de um cachorro desconhecido. Caçula de uma ninhada de três cãezinhos veio ao mundo super agitada, sua placenta levou alguns segundos para estourar, a cadelinha de cor branca com pintinhas pretas tinha muito apetite logo que nasceu agarrou-se as tetas de sua mãezinha. Levou três dias para abrir os olhinhos que no inicio parecia serem de tonalidade azuis, mas que na verdade eram castanhos amendoados. Uma cachorrinha sadia e esperta, gostava de mamar o leite da mãe e após o terceiro mês de vida tomava leite de vaca com ração ou misturada a um pedaço de pão. Drika era alegria da casa, sempre brincalhona e muita carinhosa.Adorava brincar de mordidinhas com seus irmãozinhos e ficou muito triste quando seu irmão Fuck foi adotado pela filha da vizinha. Drikinha recebeu as primeiras doses de vacina logo no terceiro mês de vida, e ainda filhote demonstrava certa resistência as injeções sempre querendo fugir ou escapar das mãos do Veterinário Elcio que cuidou dela desde o terceiro mês de vida. O primeiro banho da nossa cadelinha foi no quarto mês de vida, se mostrou bastante a vontade debaixo d'agua e parecia pedir para tomar banho, gostava muito de se secar ao sol e chegava a passar horas a fio debaixo do sol. O tempo foi passando e Drika era cada vez mais parte da nossa família, adora dormir no sofá, comer bolacha passatempo com iogurte e também ficava brava com quem se aproximava de mim, sua dona Polliana, chegava até mesmo a querer morder. A Drika, costumamos dizer tinha um senso de humanidade pois tinha olhos bem expressivos e sabia como ninguém quando seus donos estavam doentes ou tristes. Amava um paninho bem quentinho e não dispensava um bom arroz com linguiça. Ela era tão querida por todos nós, que brincavamos com ela na cama, no sofá e ela adorava.Gostava de correr pela casa e por vezes brincava com bola. Em 2006 a Drika escapou, ficou três horas desaparecida e eu entrei em desespero. Procurei pelas ruas, praças e nada de encontra-la. A tristeza tomou de mim, pensei que não iria encontra-la mais quando a avistei a uns dois quarteirões de casa, do outro lado do corrego que tem ao termino da minha rua, corri ao encontro dela...ela estava suja, cheia de timbet e alguns carrapatos, levei- a imediatamente para casa e dei-lhe um bom banho, sequei-a com o secador e ela dormiu no seu sofá preferido. Depois do ocorrido começei a desconfiar que ela estava prenha, passava horas dormindo, tinha muito apetite e ganhou um peso consideravél. No mês seguinte não tive dúvida, realmente ela estava esperando filhotinhos, sua barriga crescia a cada dia e era possível observar os cachorrinhos se mexendo. No dia 07 de Janeiro de 2010 a Drika teve uma ninhada de 4 cachorrinhos são eles: Peludinho, Saddanzinho, Mulekinho e Laika. Nasceram fortes, saudaveis e com muito apetite. A Drika era a cadela mais satisfeita do mundo não saia de perto dos seus filhotinhos e adorava amamenta-los. Eles cresciam felizes e saudaveis, corriam por toda casa escalando os degraus e móveis. Até que chegou a hora de doar os seus filhotinhos, primeiros foram o Peludinho e o Saddanzinho adotados pelo Luís, em seguida o Mulekinho doado pelo Elcio. A Drika ficou algum tempo triste, ela procurava seus filhotinhos por todos os lados...dava uma peninha dela.Seu unico conforto foi a cadelinha Laika, sua unica fêmea que resolvemos ficar com ela, com o passar do tempo as duas foram se tornando muito unidas. Dormiam juntas, comiam juntas, brincavam juntas. A Laika era muito sapeca, mordia o rodo com o pano de limpar a casa, dessamarava os cadarços dos nossos tênis, rolava e mordia a avô já velhinha Shena. No fim do ano de 2007 Drika ficou orfã, sua mãe Shena morreu de velhice aos 20 anos de idade. Drika apesar de triste, se mostrava conformada já que virá a Shena sofrer muito com a cegueira que a atingiu. Passado um tempo, em 2008 Laika teve uma forte hepatite que quase a levou a morte. Passou semanas doente, ficava só deitada, muita amarela e seus membros e rosto começaram a inchar...pensamos que ela morreria, mas com a graça de Deus e a ajuda do veterinário Elcio ela passou por um longo tratamento e injeções e em pouco tempo estava recuperada. Drika não se afastava de sua pequena Laika em momento nenhum, estava sempre próxima como se desse forças para a filhinha superar aquela doença. Depois do susto, Laika voltou a ser o que era antes: alegre, sapeca e cheia de vida. Ela e Drika sempre juntas pois eram inseparavéis. E assim seguiam, cada vez mais unidas. Drika enfrentou no ano de 2009 uma pneumonia que a acometeu mas com a ajuda indispensável de Elcio se recuperou, ainda em 2009, um fato comovente aconteceu nesta mesma casa que nos deixou muito surpresos. Ao encontrar abandonada na porta da casa do meu atual marido, Weslem, uma cachorinha com aproximadamente 10 dias de vida a qual chamamos de Luly. Muito pequeninha e com fome acolhemos ela e levamos para minha casa. Chegando lá , prontamente a Drika a acolheu, o que deixou a Laika enciumada. Drika cuidava de Luly com o carinho de mãe, a aninhava entre suas patas, e a pequena Luly mamava em suas tetas já secas pelo decorrer do tempo, com as mamadas frequentes de Luly, Drika começou a gotejar leite de suas mamas o que muito nos chamou atenção, era algo abençoado. Assim foi passando o tempo, agora ao invés de uma filha a Drika tinha duas companheirinhas que mais tarde seriam três com a chegada da cadela Belinha.Viviam felizes pelo quintal, sempre atentas ao miado dos gatos que as deixavam muito atiçadas. Eis que no ano de 2010 chega ao fim a história de vida desta cadela incrível, após ser atacada por uma série de carrapatos a Drika morreu de uma doença denominada Erlichiliose mais conhecida como "doença do carrapato", a picada do sanguessuga atingiu sua corrente sanguinea causando-lhe uma anemia, que aos poucos foi se desenvolvendo para um quadro irreversível. Drika morreu em menos de uma semana, num sabado estava quieta, amuada e com falta de apetite; na segunda-feira apresentou sintomas de vômito, diarréia e perda de peso, quando foi na quarta-feira recebi a notícia de sua morte.Uma fatalidade!

Nasceu: 
23/03/2002

Comments

Poxa ler a historia da sua cadelinha me deu vontade de chorar, espero que o tempo a console. Abraços.

bruna - salvador/BA

Add new comment

HTML com quebra

  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Allowed HTML tags: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <blockquote> <h4> <h3> <p> <img>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
CAPTCHA
Esta questão é necessária para prevenir spam :(
3 + 3 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.

Regras e Regulamentos

Atenção:

Não há censura de opinião nos comentários, mas o vc é o responsável pelo que escrever. Ou seja, aqui vale o Yoyow (You Own Your Own Words).

Lembre-se: Opinião é diferente de informação.

Informações sem fonte ou que não puderem ser checadas facilmente podem ser deletadas.

Serão apagadas sem dó mensagens publicitárias fora de contexto, spam usado para melhorar a posição de sites e outras iniciativas de marqueteiros pouco éticos.

Respeite as regras básicas Netiqueta.

Grosserias desacompanhadas de conteúdo, coisas off-topic e exagero nas gírias ou leet que dificultem o entendimento de não-iniciados tb não serão toleradas aqui.

Vou apagar sumariamente todos os comentários escritos inteiramente CAIXA ALTA, mensagens repetidas e textos que atrapalhem a diagramação do site.

Além de prejudicar, a leitura é falta de educação.

Não publique tb números de telefone, pois não tenho como checá-los. As mensagens com números de telefone serão apagadas inteiras.

Obviamente, qq conteúdo ilegal tb será deletado sem discussão.

Evite também mensagens do tipo "me too" (textos apenas concordando com o post anterior sem acrescentar algo à discussão).

Clique aqui para ver algumas dicas sobre como escrever um texto claro, objetivo e persuasivo.

Todas os comentários são considerados lançados sobre a licença da Creative Commons.

Se você não quer que seu texto esteja sob estes termos, então não os envie.