Parque Nacional Altos da Mantiqueira: consulta pública

O Radical destaca as consultas públicas para a criação do Parque Nacional Altos da Mantiqueira...

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) promove entre os dias 7 e 10 de dezembro, em São Paulo e Minas, consultas públicas sobre a criação do Parque Nacional Altos da Mantiqueira, que vai ficar entre os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

No dia 7 de dezembro a consulta foi realizada às 19h na Rua Professor José Benedito Curreno, nº 75 - Bairro Boa Vista, Pindamonhangaba (SP). No dia 8, a consulta ocorreu no mesmo horário na Rua Durvalino de Castro n°501, Vila Ana Rosa Novaes, Cruzeiro (SP).

Já no dia 9, no mesmo horário, a reunião foi na Rua Presidente Tancredo Neves n° 56, Bairro Itajiba, Delfim Moreira (MG).

Hoje, dia 10 de dezembro, no mesmo horário, a consulta será realizada na Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida, Avenida Coronel Ribeiro Pereira nº722, Passa Quatro (MG).

Editoria:

Comments

Sou a favor da criação do parque.

Somos propietários( eu, vc e todos aqueles com caráter preservacionista) de um pequeno pedaço de terra, nessa linda e ímpar região, mas especificamente em itamonte/MG. Alerto que a criação de um novo parque é muito importante, porém o mais sensato, é desenvolver de maneira adequada aqueles que já existentem na região, fornecendo pessoal e equipamentos, para a fiscalização (ca ça/desmatamento/represamento de rios...) , educação da comunidade nativa (ensinando a exploração adequada), capacitação científica e visitação pública. Delimitar e legalizar uma determinada área, e dizer que partindo de tais atos ela se transforma num parque, é mera ficção! Mario Moraes

É um verdadeiro absurdo a proposta de criação do Parque da Mantiqueira.!!!

Este governo que está ai já causou bastante desemprego e ainda pretende desalojar mais de 400 famílias !!! ??? As famílias alojadas naquela região cuidam responsavelmente do meio ambiente, e precisam dos seus espaços para o sustento de suas famílias.

Há de se pensar em criar empregos e propiciar ao brasileiro melhor qualidade de vida e não cobrir seus interesses políticos e pessoais.

Já há bastante desemprego por este país afora !!! .

sou proprietario e produtor rural no municipio de pindamonhangaba, e vejo que a prefeitura e o poder publico estão pouco se lixando para o desenvolvimento sustentável da região serrana. Temos visto um grande crescimento de bairros inteiros na zona rural do municipio que são completamente irregulares pois não respeitam o modulo rural minimo, muito menos as areas de proteção ambiental. Tudo isso ocorrendo na cara das autoridades como sempre. Prescisamos parar com a demagogia e criar projetos sustentáveis e que incluam os que preservam e produzem na terra.

Porque vcs não acabam com o Estado de São Paulo?? tem mais moradia ilegal lá do que se forem somados todo o território que vcs querem reflorestar, e eles poluem muito mais que a gente. Há não esqueci, São Paulo gira dinheiro aqui não fazemos a diferença pra ninguém, somos um bando de trabalhadores rural que comemos o que plantamos, somos um bando de animal mesmo.Só servimos na hora de votar.

Esse bando de hipócritas não dão nem conta da Amazônia que está cheia de traficantes plantando maconha lá no meio e nem conseguem acabar com o desmatamento da mesma, eles não tem hombridade suficiente para enfrentar o bando armado que explora a amazônia, agora eles querem atacar o povo mais humilde que não tem estudo e muito menos condições de saber seus direitos, só para MOSTRAR SERVIÇO. Tenho certeza que no meio desses governantes que estão mexendo " os pauzinhos " para que isso aconteça, no mínimo 50% tem fazendas desmatadas que não sofrerão nada com isso, que sairam impunes e como sempre o povo "otário" que vota nesses ........ sempre saem no prejuízo. É o maior sempre acabando com o menor.

Qual foi o pecado que nós cometemos? Preservar as terras de nossos ancestrais? Intocadas, lindas, protegidas? Por que temos agora que sair? Sabendo que não cuidaram com o mesmo zelo e cuidado que nós... Qual a grande questão? É justo? Tantos parques ao redor do mundo contam com moradores em seu interior que zelam, cuidam, policiam, preservam e protegem. Ninguém melhor que o dono para zelar do que é seu por direito de propriedade. Não existe nenhum bem comum acima do bem do homem no campo, protegendo e cuidando de sua terra, seus animais e sua vegetação. Vamos criar um parque sim, mas dentro do conceito de monumento natural... preservar sim, mas desapropriar NUNCA!

O Parque Nacional é bem-vindo. Devemos trabalhar para melhorar a proposta, corrigindo eventuais injustiças a pequenos agricultores. Se o ICMBio veio até nós para estabelecer o diálogo, devemos aproveitar a oportunidade para fazer as correções necessárias. O turismo com certeza será uma grande oportunidade para todos, como já acontece com o Parque de Campos do Jordão e no PETAR em Iporanga. Não podemos nos aliar no entanto aos grandes fazendeiros e donos de hotéis. Estes só estão vendo o seu próprio umbigo e manipulando a todos. Estive em Pindamonhangaba e fiquei envergonhado com o que aconteceu. Ora os politicos também fizeram um papelão, em especila os representantes das prefeituras de Campos do Jordão e Pindamonhangaba. A parte alta desses municípios é um escândalo ambiental. Tudo está irregular! Até defenderam as barraquinhas do Pico do Itapeva! Ora, porque não transferem as barraquinhas para o centro da cidade. Ou os representantes do município querem mantê-los longe. O Pico do Itapeva simplesmente foi destruído... Que vergonha. Aquilo era um ponto turístico. E aquele hotel imenso? E o recente cultivo de framboesas, também não é ilegal? Tudo em área de preservação permanente. Onde está a aplicação do Código Florestal? São absurdos que ocorrem em Campos do Jordão e Pindamonhangaba. As fazendas da parte alta do São José dos Alpes também causam muitos danos ambientais. Estão criando cavalos, ovelhas... Gente de grande poder aquisitivo. São os poderosos. Estão destruindo a natureza! Que venha o parque sobre esses degradadores! Aos agricultores aconselho: procurem o ICMBio e proponham mudanças para excluir pequenos vilarejos, que por engano, tenha sido incluídos na proposta.

Vc deveria sustentar o povo de campos do jordão, pois uma pessoa que tem renda ou dinheiro que recebeu de herança fica facil de sobreviver. quero ver ter que trabalhar de verdade pra ganhar seu sustento.

Voce deve estar brincando, você não sabe o que acontece aí na região com os xiitas de lá? Você não soube o que aconteceu com a comunidade do ´Núcleo Colonial de Itatiaia? Um grupo preservador, paciente, antigo foi praticamente soterrado por eles. Não existe diálogo, eles são perfeitos e donos da verdade, nós só temos que sair da frente, se não sairmos, eles passam trator.

Temos que trabalhar sim, mas na legalidade. Deixar trabalhadores envolverem-se em situações ilegais é um absurdo.Muitas das atividades acima dos 1800 m , ou seja, em APP, são ilegais. Utilizar esse pretexto para continuar com as atividades ilegais é bastante leviano.

a todos os que são, os donos da terra evitem que isso ocorra, pois as leis devem ser cumpridas, os que atolados em falta de comportamento adequado ajuizados por interesses meramente oportunistas. apoiados por uma socidade injusta e por vezes corrupta buscam acabar com as caracteristiscas sociais e culturais do vale do paraiba injetando outros de estados vizinhos no meio do desenvolvimento paulista. tome cuidado

Devemos buscar sempre o caminho do diálogo. Se existem alguns problemas na proposta de criação do Parque Nacional devemos trabalhar juntos, de forma construtiva, para aperfeiçoá-la. Moro na região, sou agricultor, e compreendo que o Parque protegerá os campos e as florestas de altitude. A Serra Fina, os Marins-Itaguaré possuem características de parque nacional. O governo federal está corrigindo um erro do passado, pois foram criados tantos parques e essas áreas ficaram esquecidas, sob forte pressão de desmatamento. Se existem problemas em algumas áreas, vamos discutir esses pontos, mas NUNCA INVALIDAR A PROPOSTA! Esse paruque que será criado será um dos mais importantes do sudeste-sul do país. Equivale ao Parque da Serra do Mar. Nele há muitas espécies ameaçadas de extinção e espécies ainda desconhecidas pela ciência. NÃO PODEMOS CEDER A POUCOS INTERESSES DE FAZENDEIROS E POLÍTICOS DA REGIÃO! Fico indignado quando ouço representantes das prefeituras de Pindamonhangaba e Campos do Jordão defenderem o que ocorre nas partes altas dos seus municípios. Acima de 1800 m de altitude, tudo é APP (áreas de preservação permanente de acordo com o código florestal de 1965). Haras, criação de ovelhas, criação de gado, plantação de framboesas, hotéis, pousadas etc são atividades ilegais a partir dessa altitude. Essa lei é federal. Todas essas pessoas estavam lá na reunião de Pinda defendendo seus próprios interesses, ocultando as práticas ilegais ou melhor o crime ambiental. Os agricultores ou associações de pequenos agricultores NÃO DEVEM FAZER CORO COM ESSAS PESSOAS! Procurem o diálogo diretamente com representantes do ICMBio. Será mais fácil resolver problemas pontuais do que se aliar a declarados criminosos ambientais. É o que tenho a comentar sobre o assunto.

A criação do parque Nacional da Mantiqueira vai expulsar varias familias de suas casas, porque mesmo que você receba indenização há uma obrigação de você sair! O monitoramento da POLÍCIA AMBIENTAL não é excelente, mas estão fiscalizando efetivamente a região. Seria mais viavel o desenvolvimento sustentavel defendido por Chico Mendes. Os ecologistas tem ódio aos pecuarista mas não dispensam o bife e dizem ao povo para comer feijão. Não suportam o povo rural por ser o unico povo livre deste país. A liberdade é a insonia dos governos.

Gozado ? porque esses caras, ongs, etc nao vao fazer um parque nacional no semi-árido nordestino. A amazonia e a Mata Atlantica tá cheia de gringo levando vantagem, mas lá no semi-árido eles não querem né porque é feio, seco, pobre....eles querem aqui na suiça brasileira... , entrem com registro no DNPM para exploraçao de água mineral, quem tiver nascente...contra o Direito Minerário nimguèm pode, nem mesmo um Parna.

mapa de Marmelópolis (no projeto) Para quem conhece cada região, observe que cada mapa omite majoritariamente as residências rurais. Fica evidente a manipulação de informações para demonstrar que a região é desabitada, desrespeitando assim seus moradores. Identifiquei que no mapa de marmelópolis foram omitidas mais de 30 famílias e que se deu privilégio a uma residencia na entrada do caminho para o pico dos Marins, na qual que vive uma pessoa que a alugou faz menos de tres anos e que não tem nenum vínculo com a vida rural dos nossos bairros. Exitem muitos interesses que não estã orevelados neste projeto 23 dez (13 horas atrás) Sou da família Alves de Sene (do sertão dos Alves) e da família Ribeiro (da Cata dos Marins). 00:33 (11 horas atrás) excluir Minha família está na região faz mais de 200 anos e sempre respeitamos as recomendações do IBAMA em relação à APA desta região e este é o prêmio que recebemos por cuidar bem deste patrimônio: ser desapropriado da nossa terra. O mais extranho é que o fazendeiro vizinho, que derubou toda a costa em frente ao Pico dos Marins para plantar eucalípto não será desapropriado, pois possuí um falso vilarejo em suas terras. Este vilarejo é falso porque tem um único dono, ele não pertence aos seus diferentes moradores.

Informações complementares de Delfim Marmelopolis Criação do PArque Altos da Mantiqueira Ai vai o link contendo o documento elaborado para a criação do parque. - Observem os interesses dos patrocinadores. - Quem é da região perceberá que omitiram muitas residências no município de Delfim e Marmelópolis. Não sei se o motivo é a falta de verba para trabalho de pesquisa em campo ou simplesmente demonstrar que a região é abandonada. - O texto claramente não considera o histórico da população e seu comprometimento com a APA. - observe que estrategicamente o acesso ao pico do Marins é destacado como uma residência e o núcleo BPS é visto como uma comunidade rural, mas pertence a somente um proprietário, enquanto que as pequenas propriedades isoladas (rosário, cata, quatis, cubatão, barra, ronda entre outras são simpelsmente despresadas. http://www.icmbio.gov.br/ChicoMendes/consultaPublica/downloads/Proposta_PARNA_Altos_da_Mantiqueira_01.pdf

Informações complementares de Delfim Marmelopolis Criação do PArque Altos da Mantiqueira Ai vai o link contendo o documento elaborado para a criação do parque. - Observem os interesses dos patrocinadores. - Quem é da região perceberá que omitiram muitas residências no município de Delfim e Marmelópolis. Não sei se o motivo é a falta de verba para trabalho de pesquisa em campo ou simplesmente demonstrar que a região é abandonada. - O texto claramente não considera o histórico da população e seu comprometimento com a APA. - observe que estrategicamente o acesso ao pico do Marins é destacado como uma residência e o núcleo BPS é visto como uma comunidade rural, mas pertence a somente um proprietário, enquanto que as pequenas propriedades isoladas (rosário, cata, quatis, cubatão, barra, ronda entre outras são simpelsmente despresadas. http://www.icmbio.gov.br/ChicoMendes/consultaPublica/downloads/Proposta_PARNA_Altos_da_Mantiqueira_01.pdf

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO PARQUE NACIONAL ALTOS DA MANTIQUEIRA O Projeto/Proposta de criação e implantação do PARQUE NACIONAL ALTOS DA MANTIQUEIRA, elaborado pelo INSTITUTO CHICO MENDES/ MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (ICMBIO/MMA), ESTÁ ILEGAL, incompleto, e PRECISA SER IMEDIATAMENTE SUSPENSO. É um projeto que fere direitos fundamentais da propriedade e coloca as autoridades locais, agricultores afetados e toda a população, em total constrangimento moral. A ausência da descrição técnico-jurídica da área do Parque é uma ilegalidade que transforma o aludido projeto num instrumento de violência e abuso aos direitos dos cidadãos, passível de punição judicial e indenização por danos morais. A Lei das Desapropriações é clara no sentido de que o poder público tem o dever de descrever tecnicamente o imóvel a ser desapropriado (limites e confrontações), fixando-lhe o justo valor. O Projeto do Parque Nacional Altos da Mantiqueira, além de não descrever os limites da área a ser desapropriada, disponibilizou na internet mapas imprecisos (que não fornecem aos proprietários das terras envolvidas a real situação do seu imóvel, ou seja, se está ou não está dentro do Parque). Com isso, o cidadão fica sem a possibilidade de defesa perante a atitude do poder público (isso também é proibido por lei). A ausência de um pré-estaqueamento dos limites do Parque gera os mesmos efeitos da ilegalidade e do constrangimento. Mesmo nas áreas consideradas bairros com alta densidade populacional, que, segundo o Projeto foram excluídas do Parque, não houve um trabalho de orientação, de visitação, de demarcação dos limites do Parque, insuflando nessas populações um estado de insegurança, medo, desconfiança sobre seu patrimônio e seu futuro (isso é constrangimento). Não é concebível que o poder público aja desta forma, trazendo a insegurança aos cidadãos; suas ações devem conter os princípios da constitucionalidade, da legalidade, da transparência, da objetividade, entre outros. Da mesma forma, e por outro lado, o aludido Projeto do Parque não apresentou qualquer estudo sócio-econômico, ou seja, não demonstra os impactos sociais do desemprego, do desabrigo de famílias, e suas conseqüências. Por este aspecto, também é ilegal, posto que deixa de colocar na balança o real interesse público de preservar o meio ambiente, diante dos impactos sociais resultantes (o interesse público em desapropriar qualquer área tem, sempre, que ser justificado sob todos os aspectos). Ressalta-se que, com as ilegalidades cometidas pelo Projeto, e os danos morais daí resultantes, existem fortes indícios de que o Poder Judiciário, acionado por aqueles que se sentem lesados, determine ao Ministério do Meio Ambiente e ao Instituto Chico Mendes, o pagamento de indenizações morais (o que seria um desnecessário gasto de dinheiro público face à irresponsabilidade de poucos inadvertidos criadores do Projeto). Há, ainda, que ser ressaltado o notório descaso com os demais Parques Nacionais que, sem recursos, sofrem desgastes de toda monta. Não houve, no Projeto, a nomeação/empenho da verba para as referidas indenizações das desapropriações (em vários casos de desapropriações o Governo não pagou aos proprietários os valores prometidos). Nem mesmo foi discriminado no Projeto o corpo de funcionários responsáveis por seu manejo e cuidado, nem a forma da investidura nesses cargos públicos. Por todas essas ilegalidades e equívocos, cabe ao MMA/ICMBIO retratar-se perante a população e, imediatamente, determinar a SUSPENSÃO DO PROJETO, até que tais irregularidades sejam sanadas. Cabe a todo Cidadão resguardar a correta atuação do poder público, o ordenamento jurídico do País, e os direitos de todos. O HOMEM DO CAMPO É A BASE DE TODA CIVILIZAÇÃO. CONSULTE SEMPRE UM PROFISSIONAL DO DIREITO. TRANSMITA ESTA MENSAGEM.

Texto de Carly Junqueira

Antes de mais nada devo esclarecer que não sou contra ações para preservar o meio ambiente, mas não posso concordar com a maneira e falta de informações consistentes a respeito do projeto do “Parque Nacional Altos de Mantiqueira” As áreas que o parque abrange são justamente aquelas que os proprietários conservaram e recuperaram. Não é justo serem PUNIDOS agora por terem preservado o meio ambiente. Trata-se realmente de uma região lindíssima, e sem dúvida deve ser preservada. Porém a forma de condução deste processo junto aos municípios tem sido desrespeitosa e totalmente apartada da realidade da população local. Os envolvidos são muitos. Pessoas que sempre viveram e trabalharam aqui e na sua grande maioria, sequer sabem da proposta de criação deste Parque Nacional. O projeto implica em grande impacto sócio-econômico e cultural na região, além da desapropriação de propriedades privadas, bem conservadas e preservadas pelos próprios donos. A criação deste Parque envolve de forma direta e indireta 400.000 pessoas, nos 16 municípios onde o mesmo será instalado. A Fazenda Renópolis da qual eu e minhas 2 irmãs somos proprietárias está em nossa família há quase 100 anos e incluída na área do parque. Maior do que seu valor financeiro é o amor que temos por estas terras; nosso sangue, nosso suor e nossa dedicação constante para a preservação da fauna e flora estão entranhadas em cada árvore e cada ser vivo aqui existente. Peço encarecidamente ajuda de todos, que repassem este e-mail, para que possamos juntos encontrar uma saída, abracem nossa causa, para que eu e tantas outras pessoas que amam e preservam suas terras não sejam punidos por preservá-las.

Desde já Obrigada Débora Murgel

POR FAVOR, ASSINEM O MANIFESTO Ou se preferir assine por email Basta enviar um email contendo a declaração: Declaro ser contra a forma que esta sendo criado o Parque Nacional Altos da Mantiqueira Nome, RG ou CPF, cidade, estado e comentário para: soucontra.criacao.parna.altosdamantiqueira@hotmail.com

No blog da Fazenda Renopolis você também pode dar sua opinião : http://fazendarenopolis.blogspot.com/2009/12/parque-nacional-altos-da-mantiqueira.html Site da fazenda: WWW.renopolis.com.br contato@renopolis.com.br

Caro Renato Lopes, Eu também estive na Audiência Pública em Pindamonhangaba. Vi muitas pessoas que moram na minha região( na zona rural de Guaratinguetá). Com algumas exceções, a maioria destas pessoas, era formada por pequenos lavradores/proprietários que se cotizaram e alugaram "vans" com recursos próprios. A nossa região é formada por famílias, que em alguns casos estão no local há mais de 200 anos. Muitos mal sairam à passeio de suas casas. Vivem nestas pequenas propriedades, de onde tiram o seu sustento. A insegurança é total, e atribuo esta insegurança à desinformação. Recomendo que o ICMbio realize de fato as pesquisas em campo, e que esta gente possa ser vista e ouvida. Se o impactos socio- econômicos e culturais, não forem considerados, dificilmente este parque será bem vindo. Sinto muita tristeza quando vejo determinadas coisas acontecendo nesta Serra que tanto amo. Porém, na maioria dos casos as agressões ao meio ambiente são provenientes da falta de informação e também de formação dos moradores. Em sua maioria são agricultores muito humildes. Não dá para simplemente excluir o fator humano do contexto do meio ambiente. Ana Paula, e-mail: ana.guara@uol.com.br

Renato Lopes16 de dezembro de 2009 às 13:40Também estive lá em Pindamonhangaba. Presenciei muitos absurdos. Primeiro, parecia um comício político. Prefeitos fazendo discursos demagógicos. É claro: o eleitorado deles estava lá. Se estivessem em uma reunião oficial, todos apoiariam a proposta. Coisas da política… Vi fazendeiros conhecidos das partes altas de Campos do Jordão e Pindamonhangaba reclamando com fúria do Parque. O que eles querem? Continuar desmatando as áreas acima de 1.800 metros - que são APPs – para continuar a criar ovelhas, cavalos etc.? Acabar com os campos e florestas de altitude? Ora, está faltando a penalização para esses cotumazes degradadores ambientais. Os agricultores foram levados de ônibus por um desses fazendeiros. Foram usados como massa de manobra para bater palmas na audiência. os advogados da região estão fazendo a festa, tirando o suado dinehiro destes. Ora, quem circula entre o Pico do Itapeva e São José dos Alpes, vê todo tipo de irregularidade acontecendo. E os prefeitos apoiam isso em público! É lastimável… Esse parque está vindo na hora certa para alguns lugares e tarde demais para outros: o que aconteceu nessas áreas altas de Pindamonhangaba e Campos do Jordão é uma vergonha nacional. Esse Parque nacional, podemos dizer, é urgente, e daquilo que falta a ser preservado no sudeste, é um dos mais importantes. Os pequenos agricultores não devem se preocupar. É uma grande mentira que 500.000 pessoas serão afetadas. As pessoas perderam a vergonha em mentir…Como já sou uma pessoa quase idosa tenho vergonha do que alguns brasileiros fazem. Para defender seus próprios interesses, usam as pessoas e se valem do desconhecimento, para atacar uma proposta sólida como esta. Vamos acordar e ter serenidade… Os fazendeiros que forem lesados deverão reclamar seus direitos na justiça ou com o ICMBio, mas por favor, não levem o pânico e a mentira, aos agricultures e municipes de nossa região.

Estive na audiência de Pindamonhngaba e vi uma grande manipulação de fazendeiros contra o Parque. Esses fazendeiros manipularam pequenos agricultores, aterrorizando-os e colocando medo na população. Fiquei sabendo que um deles fretou ônibus para usar os pequenos agricultores como massa de manobra. É um absurdo o que esses interesses de poucos fazendeiros estão fazendo contra essa proposta. Os pequenos agricultores não serão prejudicados. Basta ler os documentos e constatar isso. Os meios de imprensa deveriam se preocupar em esclarecer as pessoas e não difundir mentiras, para defender o interesse de poucos empresários e fazendeiros da região em detrimento da população em geral.

Senhores, nínguem é contra o meio ambiente, pelo contrário, devemos preservá-lo para futuras gerações. Inúmeras são as leis que protegem a fauna e a flora, alias algumas delas são severas demais, responsabilizam seus infratores com penas duras, inclusive, com o cerceamento da liberdade (prisão), isso sem contar com a resposabilidade civil(reparação do dano) e administrativa(embargo à propriedade). Por outro lado toda a área pretensa ao parque já está inserida na APA Serra da Mantiqueira criada desde 1985, ou seja, há mais de 20 anos e ainda não há um plano de manejo. Isso sem contar que a crista da mantiqueira, acima de 1800 metros de altitude já é APP - área de preservação permante, ou seja, já é um PARQUE NACIONAL, o que falta é a fiscalização por parte do poder público (IBAMA, ICMBIO, AGÊNCIAS AMBIENTAIS ESTADUAIS, POLÍCIAS AMBIENTAIS e GUARDAS FLORESTAIS), aliás tanta gente para fiscalizar e nada fazem, se omitem, e agora querem criar um Parque para mascarar o que óbvio, A INCOMPETENCIA. A criação do parque nos moldes da proposta apresentada vai causar um caos social, pois, há mais de 500.000 pessoas afetadas nessa situação, que ficarão desapossadas, desalojadas, desempregadas caso esse parque seja criado, e o que é pior jamais apresentaram um plano de impacto demográfico. O governo federal já criou outros parques e não deram certo, aliás nunca houve indenizações pelas desapropriações, e os parques estão totalmente abandonados, reduto de depredadores do meio ambiente (caçadores, palmiteiros e madeireiros), que por se tratar de terra de ninguém usam e abusam por não terem fiscalização. Aos senhores que são a favor do parque meus sinceros sentimentos. pois, não é através de utopias e do sacrifíco dos poucos proprietários que ainda preservam o meio ambiente queremos construir uma consciência realmente ambiental. Dr. Paulo Guilherme

A principio poderia dizer que trata-se de uma boa tentativa de preservar os recursos naturais, os quais sou totalmente a favor, visto também que nossa região é muito rica em recursos hídricos, fauna e flora, possui exuberância paisagística, com campos de altitude e os mais belos montes e picos do brasil, me arrisco até dizer do mundo.

No entanto, sabemos como tem sido as criações de reservas e parques no nosso querido Brasil, desapropriações injustas com quem sempre cuidou da terra há gerações, e tira da própria o seu sustento e de seus familiares, gera empregos diretamente, sejam na agricultura, pecuária, apicultura ou hoteleira, e outros indiretamente no comércio local e região.

Sabemos também que lamentavelmente nosso governo ainda não tem competência para proteger nossa riqueza e ainda pensa de maneira errônea que criações de parques e reserva vão resolver o problema, quando na verdade tendem a piorar pois quem mais tem interesse em preservar são as próprias familias que ali residem e tiram o seu sustento.

Sou a favor de preservar, mas que o modelo de criação desse Parque seja revisto, afim de não prejudicar os moradores locais, caso contrário o desastre seria de proporções gigantescas.

DIGA NÃO A IMPOSIÇÃO DA CRIAÇÃO DESTE PARQUE!

Estamos diante de mais uma decepção do governo Lula, diantes de ínumeras denúncias e provas explícitas de corrupção, agora a criação de um Parque. A fim de favorecer a quem? Quem lucrará com isso?

É justo expulsar do sertão famílias que vivem ali há gerações? Acordar num belo dia e simplesmente ter que ir embora sem rumo, pra um futuro incerto? Deixar pra trás uma história, uma vida, tudo que conquistou, seus sonhos?

DIGA NÃO A ESTE ABUSURDO!

VAMOS NOS UNIR!!!!!!

oie sou um jovem de 24 anos estudante cursando tecnico em turismo,sou da cidade de Piquete onde ira passar o parque nacinal altos da mantiqueira aqui em nossa cidade temos muitas duvidas sobre o parque e não temos onde nos esclarecer. Mas tenho certeza que sera uma boa para a preservação de nossa fauna e frora. VAMO LÁ GENTE APOIA ESSA INICIATIVA.

oi, no site www.icmbio.gov.br link Consulta Pública vc vai achar vários docs; um deles é a proposta em si, que tem mais de 100 páginas (pdf) e contém muita informação, e onde justifcam a proposta de criação. Tbém espero que a iniciativa tenha sucesso.

Add new comment

HTML com quebra

  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Allowed HTML tags: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd> <blockquote> <h4> <h3> <p> <img>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
CAPTCHA
Esta questão é necessária para prevenir spam :(
5 + 4 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.

Regras e Regulamentos

Atenção:

Não há censura de opinião nos comentários, mas o vc é o responsável pelo que escrever. Ou seja, aqui vale o Yoyow (You Own Your Own Words).

Lembre-se: Opinião é diferente de informação.

Informações sem fonte ou que não puderem ser checadas facilmente podem ser deletadas.

Serão apagadas sem dó mensagens publicitárias fora de contexto, spam usado para melhorar a posição de sites e outras iniciativas de marqueteiros pouco éticos.

Respeite as regras básicas Netiqueta.

Grosserias desacompanhadas de conteúdo, coisas off-topic e exagero nas gírias ou leet que dificultem o entendimento de não-iniciados tb não serão toleradas aqui.

Vou apagar sumariamente todos os comentários escritos inteiramente CAIXA ALTA, mensagens repetidas e textos que atrapalhem a diagramação do site.

Além de prejudicar, a leitura é falta de educação.

Não publique tb números de telefone, pois não tenho como checá-los. As mensagens com números de telefone serão apagadas inteiras.

Obviamente, qq conteúdo ilegal tb será deletado sem discussão.

Evite também mensagens do tipo "me too" (textos apenas concordando com o post anterior sem acrescentar algo à discussão).

Clique aqui para ver algumas dicas sobre como escrever um texto claro, objetivo e persuasivo.

Todas os comentários são considerados lançados sobre a licença da Creative Commons.

Se você não quer que seu texto esteja sob estes termos, então não os envie.